Dúvidas com relação à doença Febre Amarela e vacinação no Estado de São Paulo

Há dois tipos de febre amarela, a silvestre e a urbana. Qual é a diferença entre elas?

A silvestre é disseminada pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, circulantes em matas, e não em cidades. A versão urbana é transmitida pelo Aedes aegypti, o mesmo da dengue, do zika e da chikungunya. Não há registro de febre amarela urbana no Brasil desde 1942. As mortes de agora foram causadas pela versão silvestre, unicamente.

 

Existe a possibilidade de os mosquitos Haemagogus e Sabethesirem para a área urbana?

Não. Os mosquitos Haemagogus e Sabethes são de gêneros diferentes, mas tem comportamentos parecidos. Eles vivem em áreas de florestas densas, com vegetação abundante. Voam alto e geralmente ficam na copa das árvores. Sua fonte principal de alimentação é o sangue dos macacos que estão lá em cima. Ou seja, estão totalmente adaptados a hábitos silvestres que não vão encontrar na cidade.

 

Por que a versão urbana é um problema?

Porque seu potencial de disseminação é grande, na medida em que circularia nas cidades, em meio a um número muito maior de pessoas.

 

O macaco pode transmitir febre amarela?

Não. A febre amarela não é uma doença contagiosa, por isso sua transmissão não é feita de animal para animal, tampouco de animal para humanos nem entre humanos. A única forma de transmissão é pela picada de mosquitos infectados.

 

Qual é o papel de primatas na transmissão?

Primatas podem se contaminar com o vírus, exercendo também o papel de hospedeiros. Se picados, os animais transmitem o vírus para o mosquito, aumentando, assim, os riscos de propagação da doença.

 

Se uma pessoa que foi infectada com febre amarela em uma área silvestre estiver no centro de São Paulo e for picada por um mosquito urbano, o Aedes aegypti, esse mosquito contrai o vírus e passa a espalhar a doença?

Sim e esse seria o início do ciclo urbano da doença. A febre amarela urbana acontece justamente quando o Aedes aegypti pica uma pessoa doente e depois pica outra pessoa susceptível, transmitindo a doença. Exatamente como acontece com a dengue, zika e chikungunya. Por isso é importante que todas as pessoas que moram ou frequentam áreas de risco se vacinem.

 

Moro perto de um parque. Corro mais risco?

Não, a menos que esse parque tenha a presença de macacos.

 

Por que a OMS classificou todo o Estado de São Paulo – e não só regiões específicas — como área de risco?

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde indicou a inclusão de todo o Estado de São Paulo como área de risco para a febre amarela. Isso significa que todos que desejam viajar para a região, incluindo a capital, devem se vacinar com dez dias de antecedência. Segundo os especialistas, a recomendação faz sentido porque a OMS precisa ter uma noção abrangente das regiões do país onde há risco para fazer uma recomendação geral. O órgão não tem como saber exatamente quais locais o turista vai visitar durante sua estadia e se vai ou não se colocar em risco.

 

A febre amarela é uma doença fatal?

Se houver diagnóstico precoce, não. De 40% a 50% dos casos podem evoluir para a forma grave da doença. Nestes, em 30% a 40% a doença pode ser fatal.

 

Quais são os sintomas da febre amarela?

Cerca de 35% das pessoas infectadas apresentam sintomas semelhantes aos de um resfriado, como dor de cabeça, febre, perda de apetite e dores musculares, três dias depois de terem sido picadas pelo mosquito. Após essa fase, 35% desenvolverão a forma grave da doença, com sintomas severos, como dor abdominal, falta de ar, vômito e urina escura. O restante não apresenta sintomas.

 

É possível contrair a doença mais de uma vez?

Não. Quem já foi infectado está imune para sempre, diferentemente do que ocorre com a dengue.

 

Qual é o tratamento para a febre amarela?

Não há um tratamento específico para febre amarela. A medida mais eficaz é a vacinação, para evitar a contaminação da doença.

 

Como se proteger contra a doença?

O ideal é tomar a vacina, mas para aqueles que não podem tomar o imunizante ou que estão no período de dez dias após a aplicação, a melhor forma de prevenção é evitar a picada do mosquito. Algumas formas de colocar isso em prática são: usar repelente, aplicar o protetor solar antes do repelente, evitar áreas silvestres (se possível), vestir roupas compridas e claras, usar mosqueteiros e telas e evitar perfume em áreas de mata.

 

Qualquer repelente funciona contra o mosquito?

Não. No Brasil, são mais de 120 com registro na Anvisa, mas somente os que contêm alguma das seguintes substâncias têm garantia de eficácia: DEET, IR3535 e icaridina. Vitamina do complexo B não tem efeito comprovado contra o mosquito.

 

Tomou vacina de Febre Amarela em 2008, e está agendado para 2018, precisa tomar vacina novamente?

NÃO. Conforme calendário de rotina, fazemos uma única dose na vida. (Nota Informativa nº 94, de 2017/CGPNI/DEVIT/SVS/MST)

Em 2008 o calendário recomendava um reforço a cada 10 anos, por isso as cadernetas estão agendadas, porém houve uma mudança no calendário em Abril/2017, por recomendação da Organização Mundial da Saúde.

Então desconsidere este agendamento, se já tem uma dose registrada, já é considerado vacinado, não precisa de outra dose.

 

Grávida pode tomar vacina?

NÃO. Na nossa região não vacinamos grávida nem mulheres amamentando. (Nota Informativa nº 94, de 2017/CGPNI/DEVIT/SVS/MST).

 

Já tem uma dose de vacina de febre amarela, e vai viajar para regiões que estão em risco, deve tomar vacina?

NÃO. Se já tem uma dose, não há necessidade de reforço. (Nota Informativa nº 94, de 2017/CGPNI/DEVIT/SVS/MST).

 

Vi na televisão que terá campanha de vacinação, quando será?

O GVE XXIX - São José do Rio Preto não precisa fazer campanha, pois a vacina está disponível nas unidades de rotina.

 

Pessoas acima de 60 anos podem tomar a vacina? Precisa de prescrição médica?

Os idosos podem sim tomar a vacina de febre amarela e não precisam de prescrição. Solicitamos a prescrição médica apenas de pacientes com doenças imunossupressoras ou que estejam debilitados por outra doença.

Se o idoso estiver saudável, apenas com doenças comuns à idade (hipertensão, diabetes, etc.), pode tomar a vacina sim.

 

Criança pode tomar a vacina?

Crianças a partir de 9 meses devem tomar a vacina de febre amarela e esta dose será única na vida.

 

Todo mundo que vai viajar para fora do país precisa tomar a vacina de Febre Amarela.

NÃO. O viajante deve se informar no site da ANVISA, pois cada país tem sua recomendação específica.

Informações sobre os países que exigem vacinação para febre amarela podem ser obtidas por meio do link:

http://portal.anvisa.gov.br/noticias/-/asset_publisher/FXrpx9qY7FbU/content/quais-paises-exigem-vacina-de-febre-amarela-/219201?inheritRedirect=false   

 

Paciente vivendo com HIV pode tomar a vacina de Febre Amarela?

O médico deverá avaliar o estado imunológico do paciente e seu estado clínico.

Pessoas vivendo com o HIV (PVHIV) sejam avaliadas para a indicação de imunização contra a febre amarela de acordo com a tabela abaixo:

 

Vi na televisão que a OMS incluiu o Estado de São Paulo todo como área de risco para Febre Amarela, como assim?

Quer dizer que agora há recomendação de vacinação contra a febre amarela para todos os viajantes que irão visitar qualquer área no Estado de São Paulo.

Isso não significa que haja perigo de contágio, mas que como não há possibilidade de prever os deslocamentos internos desses viajantes trata-se de uma medida ampliada de cautela.

 

A região do GVE XXIX - São José do Rio Preto está em risco pra Febre Amarela?

Sim, somos uma área de risco, por isso fazemos a vacinação de febre amarela de rotina há muitos anos.

 

Porém, neste momento, não estamos tendo casos positivos em macacos.

Ainda assim, não podemos nos descuidar, devemos estar atentos para manter altas coberturas vacinais e continuar notificando epizootias, a fim de mantermos a situação sob controle.

 

Quem precisa tomar a vacina?

O Ministério da Saúde recomenda a vacinação em crianças a partir de 9 meses de idade (6 meses em áreas endêmicas) e pessoas que moram próximo a áreas de risco.

 

Onde ela está disponível?

A vacina está disponível gratuitamente em unidades básicas de saúde da rede pública.

 

Quem não deve tomar a vacina?

Crianças com menos de 6 meses não devem tomar a vacina sob hipótese nenhuma. Mães que estão amamentando crianças nessa idade também devem evitar se imunizar. Caso seja necessária a vacinação, o ideal é ficarem dez dias sem amamentar o bebê. Em crianças entre 6 e 9 meses de idade, a vacinação só deverá ser realizada mediante indicação médica. A mesma recomendação vale para gestantes. Pacientes imunodeprimidos, como pessoas em tratamento quimioterápico, radioterápico, com Aids ou que tomam corticoides em doses elevadas e pessoas com alergia grave a ovo também não devem se vacinar.

 

Quais são as reações possíveis à vacina?

Os efeitos colaterais graves são raros. Mas 5% da população podem desenvolver sintomas como febre, dor de cabeça e dor muscular de cinco a dez dias. Não é frequente a ocorrência de reações no local da aplicação.

 

Quem tem maior risco de evento adverso relacionado à vacina da febre amarela?

Crianças menores de 6 meses, idosos, gestantes, imunodeprimidos, mulheres que estão amamentando e pessoas com alergia grave à proteína do ovo.

 

Como e onde emitir um Certificado Internacional de Vacinação que registre a imunidade permanente para quem já tomou uma dose?

Para obter o Certificado Internacional de Vacinação emitido pela Anvisa basta levar o comprovante de vacinação a qualquer centro credenciado.

 

Comunicação – Secretaria Municipal de Saúde 

 

Palavras-chave

Comentários

Indique para um amigo

Use este formulário para indicar esta postagem para um amigo.

Mais notícias